Obesidade: o que é, causas e tratamento

0
38
Obesidade

Hoje em dia, a preocupação quanto a aparência está cada vez mais em alta, valorizando o mercado da estética. Procedimentos como a lipoaspiração, o botox e a bichectomia estão ganhando cada vez mais os pacientes. Entretanto, existem complicações estéticas que vão muito além da boa aparência e afetam consideravelmente a saúde, como é o caso da obesidade.

A obesidade se trata de uma doença crônica que se qualifica pela grande conservação de gordura pelo organismo, levando a uma série de complicações à saúde. Pode ser influenciada por várias causas, sejam elas comportamentais genéticas e ambientais. O tratamento da obesidade depende da gravidade da situação, uma vez que essa enfermidade é classificada em diferentes níveis como estipula o cálculo de Índice de Massa Corporal (IMC). Algumas de suas ações preventivas são uma dieta equilibrada, sono regulado e vida ativa.

Uma pessoa é considerada obesa quando o seu IMC é de 30 ao mais, e isso se deve ao consumo sobreposto de calorias, comparada as calorias queimadas, seja pelas atividades diárias ou exercícios físicos.

O que é obesidade?

A obesidade é uma doença que afeta cerca de milhares de pessoas pelo mundo e é vista pela Organização Mundial de Saúde (OMS), como uma das maiores complicações a saúde em escala global. Como dito, se trata do acúmulo exagerado de gordura no corpo, que é capaz de influenciar demais problemas de saúde como o diabetes mellitus e doenças cardiovasculares.

Entretanto, a obesidade não se relaciona somente ao sobreposto de peso, mas também a porcentagem da gordura corporal. Isso se deve ao fato de alguns indivíduos apresentarem o peso acima do estipulado como ideal e, entretanto, esse peso se deve a grande quantidade de massa muscular e não de gordura. Essa enfermidade não possui restrições e atinge todos os grupos e faixa etárias. A obesidade infantil vem se tornando cada vez mais comum e preocupante, necessitando de um diagnóstico precoce para que não haja demais complicações ou comorbidades.

Causas da obesidade

A obesidade é uma doença multifatorial, uma vez que pode ser influenciada por diversos fatores, sejam esses genéticos, comportamentais, ambientais, ou até mesmo pela sua combinação. A causa genética se é percebida desde a infância, já que pais obesos favorecem em 80% que a criança também desenvolva obesidade, caso a influência seja de apenas um lado há um aumento de 40%.

Contudo, o fator principal da obesidade é o maior consumo de calorias, especialmente por meio de uma dieta desequilibrada e rica em alimentos gordurosos e açúcares, e pela ausência da prática de atividades físicas, reforçando o fato de que se come mais do que se gasta.

Tratamento da obesidade

O tratamento da obesidade se difere pelo tipo e pelo nível da obesidade do paciente, visionando a perda de peso e a sua estabilização saudável. Uma vez controlado, a pessoa não possui mais riscos à obesidade, e caso existam, são mínimos. Cabe ao nutricionista e ao médico avaliarem as particularidades do caso.

O procedimento do tratamento compõe na renovação da alimentação, por meio da educação ou reeducação alimentar, deixando de vez os maus hábitos. Em certos casos, o uso de medicamentos pode ser realizado, porém, somente pela prescrição médica. A análise do médico também é importante mediante a necessidade de alguma intervenção cirúrgica. Os fatores comportamentais podem ser solucionados através de acompanhamento psicológico ou psiquiátrico.

Ações preventivas a obesidade

Mesmo que a obesidade possua a sua relação genética, existem algumas atitudes que podem prevenir a sua incidência. Entre essas medidas estão a manutenção de uma alimentação saudável, prática regular de atividades físicas e boas noites de sono, uma vez que é durante o sono que ocorre a liberação do hormônio responsável pelo crescimento; a somatotrofina. Esse hormônio reduz o nível de gordura do corpo e ajuda quanto a melhora da massa muscular.

Quanto a melhor alimentação, é necessário que haja uma maior disciplina, alimentos industrializados devem ser substituídos por alimentos naturais riscos em nutrientes. O consumo desses alimentos não precisa ser cortado por completo, mas sim, evitado ao máximo. O acompanhamento de um nutricionista no início do processo é ainda mais importante, uma vez que o paciente ainda não está seguro com as próprias escolhas. É somente através da execução desse conjunto de práticas saudáveis que a obesidade consegue ser prevenida e revertida.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here