Overtraining: tipos e sintomas

0
21
Overtraining
Overtraining

O sentimento de cansaço intenso após o treino, de que o corpo mais pesado do que o normal, e que a prática de exercícios não está satisfatória como antes, podem ser sinais de overtraining, ou overreaching.

O exagero de atividades físicas pode trazer uma série danos à saúde, e em vez de fortalecer o corpo, o enfraquece e faz com que lesões e quedas sejam mais frequentes. Essas quedas podem danificar os dentes e fazer com que haja a necessidade de implantação da lente de contato dental. Saiba mais sobre demais efeitos:

Tipos de overtraining

O overtraining pode ser funcional (ORF) ou não funcional (ORNF). O funcional acontece durante a fase de treinamento, com uma frequência ou volume relativamente maior, além de uma perda de rendimento prevista. Depois de um determinado tempo de repouso, essa negativa influencia a melhora do desempenho do mecanismo de supercompensação. A perda e a melhora são previstas pela comissão técnica e devidamente controladas, fazendo parte dos treinos.

O não funcional, as mudanças vêm de surpresa e não são esperadas, comumente decorrendo da falta de um descanso devido, influenciando mudanças fisiológicas e psicológicas, como o cansaço, a irritabilidade e os distúrbios do sono. Se o efeito for prolongado, o overreaching funcional pode desenvolver o quadro patológico do não funcional. Ao mesmo tempo que o overtraining (OT) se trata de uma síndrome resultante da falta de tratamento do overreaching não funcional, se leva ao detrimento progressivo de desempenhos e sintomas mais preocupantes.

Sintomas

O atleta profissional possui sempre um potencial de decorrência de ORNF, porém, seguindo um planejamento de treino adequado, e com períodos de repouso suficientes, esse risco pode ser prevenido. Entretanto, o atleta amador também pode desenvolver a enfermidade, especialmente advinda de práticas intensas em caminhos de média e longa distância, e também em triatletas.

Ambos os tipos de overtraining podem influenciar a dor, a falta de sono, a incidência de lesões tendíneas e musculares, temores involuntários, mudanças hormonais e o estresse. Em conjunto ao déficit nutricional podem causar sintomas graves como a fadiga crônica, dificuldade para dormir, constante mudança de humor, perda de condicionamento físico e, principalmente, e o aumento da constância cardíaca durante o descanso

Na decorrência de algum desses sintomas, reduza a frequência e a veemência dos treinamentos para fazer com que o corpo se recupere. Consultar o médico para uma avaliação e para o devido diagnóstico ou tratamento é essencial para sua recuperação.

Consequências

A demasia de exercício possibilita que o treino não seja proveitoso, prejudicando a hipertrofia muscular, já que é no período do repouso que os músculos se recompõem do treino e cresce.

Além dos demais danos ao corpo, a prática intensa de exercícios físicos prejudica à mente e pode influenciar no vício por sua execução, em que a necessidade e a obsessão pela boa aparência e porte físico levam a irritabilidade e ansiedade.

Medidas preventivas ao overtraining

O overtraining pode ser prevenido através de um bom e respeitoso planejamento do treino. Quando o praticante possui o apoio indispensável de uma equipe de saúde interdisciplinar, com a presença de um nutricionista, de um profissional de educação física, psicólogo e fisioterapeuta. Esses especialistas deverão formular o planejamento em conjunto, levando em consideração o estado físico, mental e nutricional do atleta, fazendo com que não haja risco de síndrome.

É de extrema relevância que o atleta conheça o seu próprio corpo, uma vez que os sintomas podem ser imperceptíveis pelas pessoas a sua volta, e quando for perceptível, poderá ser tarde e os efeitos incuráveis. Caso o atleta conheça o seu próprio corpo, suas necessidades e limitações, vai ser fácil perceber que algo não está em seu devido lugar, contatando a equipe interdisciplinar para que haja a identificação do problema e receber as medidas a serem tomadas.

Formas de tratamento a compulsão por exercícios

Ao detectar os sintomas de excesso de atividades físicas, as mudanças no funcionamento do organismo, necessita-se de se contatar um médico especialista para analisar se há a incidência de algum problema no coração, nas articulações, ou nos músculos, reivindicando urgentemente o tratamento.

É preciso também cessar a prática da atividade física por um tempo e recomeçá-la gradativamente após a recuperação total, e para que haja o processo correto, busque por um profissional especialista em educação física. Outra necessidade é o acompanhamento com um psicoterapeuta para realizar o tratamento do vício por exercícios físicos, da ansiedade e do estresse.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here