Problemas financeiros: motivos e soluções

0
15
problemas financeiros

Os problemas financeiros são uma dor de cabeça frequente e nos assombram nos momentos mais inoportunos. Com esses problemas, vem as dívidas e com ela o medo frequente dos preços de roupas, cosméticos, eletrônicos e até mesmo de elementos relacionados a nossa saúde como alimentos, consultas e procedimentos estéticos como clareamento dental.

Além disso, os eventuais problemas financeiros conseguem impedir nossos planos e objetivos de serem executados e alcançados. Veja como se resolver financeiramente:

O problema do crédito

Grande parte das famílias brasileiras sofre para equilibrar as finanças por conta de tantos impostos e dívidas. A economia do Brasil evoluiu com os anos, mas o mais recente vilão do controle financeiro é o fiel companheiro de muita gente: o crédito. Sua oferta tem apenas crescido, assim como a distribuição de financeiras pelas cidades.

Atualmente em nosso país, o crédito vantajoso e fácil pregado por diversas empresas não se refere a um crédito barato. Esse recurso quando utilizado de maneira consciente, se torna um grande colaborador nas finanças, as parcelas proporcionadas ajudam bastante a não acumular dívidas mensais. Porém, quando usado de forma inadequada, pode ser um peso constante no futuro.

Através do cartão de crédito, você pode parcelar contas sem ter que pagar juros, ou até mesmo possuindo 40 dias para quitar compras cotidianas. Além de oferecer milhas, pontos e diversas outras vantagens. O crédito traz a sensação de um poder de compra momentâneo, sendo necessário um autocontrole ao portá-lo, especialmente aqueles que possuem um grande prolongamento de parcelas e muitas bandeiras.

Autocontrole com ofertas 

Grande parte das pessoas acabam sendo tentadas a usar o cartão e efetuar uma compra pelas chamadas “ofertas imperdíveis”. A falta de autocontrole perante essas oportunidades promocionais pode levar a compra exagerada de itens desnecessários e que não apresentam nenhuma vantagem e motivo de uso para serem adquiridos.

Além disso, essas propagandas de que o preço está consideravelmente abaixo da média, e de exclusividade, são exatamente para te instigarem e impulsionarem ao ato, podendo ser até mesmo enganosas. Para evitar situações como essa você pode cancelar o uso do cartão de crédito, reduzir o seu limite, ou se disciplinar e aprender a usar esse meio de pagamento com sabedoria.

Para o uso mais consciente do cartão é importante que você defina os limites de uso, evite andar com ele sempre, e evitar ao máximo parcelamentos longos. Procure limitar o uso do cartão de crédito apenas em situações especiais, com itens de preço mais elevado, evitando que gastos do dia-a-dia se acumulem e gerem um futuro orçamento defraudado.

Como se livrar das dívidas?

Caso a situação esteja agravante, é sinal que não possuímos o autocontrole e maturidade suficiente para se portar com o crédito. Mesmo com a gravidade da circunstância, não é recomendável que se pegue uma determinada quantia de dinheiro emprestada, já que não é uma solução sucinta e por conta de o crédito ser algo caro no Brasil.

Se livrar desse problema é algo gradual e exige paciência e planejamento das decisões a serem tomadas. Nada de querer precipitar as coisas, as dívidas não vão sumir instantaneamente.

Responsabilidade quanto aos atos

É comum diante algum problema ou complicação que joguemos a culpa em algum fator externo e não sermos capazes de assumir o real causador do problema, nós mesmos. Perante ao acúmulo das dívidas, comumente colocamos a culpa no cartão, no cheque especial ou na própria oferta, mas nunca em quem realizou todas aquelas compras.

No final, acabamos nos acomodando e nos iludindo como se a situação não dependesse de nós. Contudo, ferramentas de crédito continuam sendo apenas ferramentas, e se não aprendermos de vez como as dominar, elas podem passar a nos domar facilmente.

Saia da zona de conforto

Após reconhecer e assumir a própria culpa da má gestão financeira, é necessário a real mudança de comportamento e o enfoque em novos que sejam capazes de cancelar aqueles considerados ruins.

Mesmo que o ato de consumo seja o responsável pelo crescimento econômico de uma nação, não deve ser assistido por dívidas sem possibilidade de serem pagas. Aprenda a esperar e consumir por meio de um planejamento e através do respeito a seu orçamento. Para começar é simples: anote seus gastos e suas receitas em categorias e reflita a situação de sua renda familiar 30 dias depois.

Soluções para problemas financeiros

Agora é a parte de colocar em prática, tomar atitude é essencial para reverter a situação e se restabelecer financeiramente. Procure fazer um levantamento de suas dívidas as relacionando aos credores, aos custos e as taxas contidas. Ao realizar um negócio, análise bem antes de aceitar a primeira proposta do credor. Esteja sempre pronto para argumentar e fazer uma contraproposta, sempre documentando o processo.

Caso não conseguir efetuar o pagamento no momento, dê prioridade as pendencias com juros e valores maiores para que seu pagamento seja flexibilizado conforme o seu orçamento. Sua função é rever os gastos, liberar certa parte do orçamento e se apropriar deles para efetuar o pagamento das parcelas que concluam a requisição dos juros.

Respeito ao orçamento e autocontrole

Para conquistar a estabilização financeira é necessário ter além de atitude, disciplina durante o processo. É a atitude que motiva a mudança, e é por meio dela que conseguimos a motivação necessária para transformamos a falha em sucesso. Assim, devemos ter a atitude de corrigir nossos erros e a disciplina para controlar as finanças.

Portanto, muitos brasileiros que passam por momentos de dificuldades financeiras chegam a esse ponto justamente por não apresentarem atitude e a disciplina necessária na hora de gastar. Somente evitando os maus hábitos e seguindo essas simples ações conseguimos conquistar o nosso autocontrole e respeitar o nosso orçamento.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here